domingo, 6 de novembro de 2016

NOTÍCIA DO G1

Mulher tenta entrar em presídio com 4,6 quilos de maconha e um revólver

Flagrante foi feito na manhã deste domingo (6), no Complexo do Curado.
Agentes penitenciários encontraram droga e arma em pote de macarrão.


Uma mulher foi presa, na manhã deste domingo (6), ao tentar entrar com droga, arma e munição no Presídio Juiz Antônio Lins de Barros (Pjalb), que faz parte do Complexo Penitenciário do Curado, na Zona Oeste do Recife. De acordo com informações repassadas por agentes penitenciários,  ela portava 4,6 quilos de maconha, um revólver calibre 38 e cinco projéteis. Tudo isso estava acondicionado em um pote com macarrão.
Segundo informações dos agentes que estavam de plantão na unidade carcerária, a prisão ocorreu às 8h40. Domingo é dia de visitas na unidade. A mulher informou que levaria o almoço para o filho. Quando o pote foi colocado na máquina de Raio-X, a guarda da unidade detectou a presença da arma e da droga.
A mulher foi levada para a Central de Plantões da Polícia Civil, na Zona Norte da capital pernambucana. Depois, deve seguir para a audiência de custódia.
Agente

A secretaria havia acionado a Corregedoria da Secretaria de Defesa Social após denúncias e ele foi preso portando uma pistola 9 milímetros, de uso restrito das Forças Armadas. Segundo a Seres, a arma estava dentro de uma bolsa. O nome do agente não foi divulgado pelas autoridades.
Nota

Em nota, o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco, João Carvalho, afirmou que a categoria  repudia a atitude de qualquer servidor que participe de atividade ilicita. Segundo ele,  todo e qualquer caso deve ser punido quando  acontece um fato que prejudica  o bom andamento do servico publico e a imagem da categoria de agentes penitenciarios de Pernambuco.

O Sindicato diz, ainda, que o fato do servidor que foi detido com a arma de calibre restrito não representa a totalidade de agentes penitenciarios e de servidores. A categoria solicita que se cumpra a norma legal e o rigor da lei, preservando o direito a ampla defesa.
Armas apreendidas

Revistas nos presídios de Pernambuco já resultaram na apreensão de 31 armas de fogo, somente neste ano. No dia 26 de outubro, foram encontradas duas armas de fogo no Complexo Prisional do Curado. Em 2015 inteiro, os agentes confiscaram 21 armamentos deste tipo.

Em 2016, três armas foram  aprendidas, em média, por mês, nas unidades prisionais pernambucanas. No ano passado, a média foi de duas confiscadas a cada 30 dias. Além das armas de fogo, os agentes recolheram este ano, no primeiro semestre, mais de 1.400  facas, facões e armas artesanais. Em 2015, foram recolhidas 3.500 unidades.
Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário