sábado, 31 de janeiro de 2015

NOTÍCIAS DO GLOBO

31/01/2015 09h49 - Atualizado em 31/01/2015 12h17

Detentos e agentes se enfrentam em confusão em presídio do Recife

Tumulto ocorre na manhã deste sábado, no Complexo Prisional do Curado.
Na sexta, a PM desativou bomba colocada em um dos muros da unidade.

Do G1 PE
Detentos protestam contra demora na entrada das visitas (Foto: Luna Markman/G1)Detentos protestam contra demora na entrada das visitas (Foto: Luna Markman/G1)
Um dia após a PM desativar um explosivo colocado em um muro de um dos presídios do Complexo do Curado (antigo Aníbal Bruno), na Zona Oeste do Recife, a unidade volta a registrar tumulto. Revoltados com a demora na entrada das visitas, detentos do Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros (Pjallb), que faz parte do conjunto, iniciaram uma confusão na manhã deste sábado (31). Os presidiários jogaram pedras contra parte da guarda interna, que revidou com gás de pimenta. O tumulto começou por volta das 7h30. Ao menos três internos teriam ficado feridos, sendo levados ao Hospital Otávio de Freitas, na mesma região.

A demora na entrada das visitas ocorre porque os agentes penitenciários iniciaram a Operação 100% Legal neste sábado. Eles estão cumprindo as regras para revistas de visitantes como determina a legislação, impedindo a entrada de comida levada pelos parentes, por exemplo. A restrição revoltou os detentos.

João Carvalho, do Sindasp-PE, informou que acordo com o governo não foi cumprido (Foto: Luna Markman/G1)
João Carvalho, do Sindasp-PE, informou que acordo com o
governo não foi cumprido (Foto: Luna Markman/G1)
"Desde 2011 existe um acordo coletivo firmado entre o governo e sindicato de que, pela quantidade reduzida de agentes penitenciários, a entrada das visitas seria às 8h30. O secretário [Pedro Eurico, de Justiça] prometeu uma coisa que a gente não poderia cumprir: a entrada às 7h. Com a demora, as mulheres começaram a gritar e a balançar o portão. Aí os presos começaram a jogar pedras e teve início a confusão", explicou o vice-presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), João Carvalho.

A decisão da categoria de iniciar a Operação 100% Legal foi tomada após assembleia realizada na noite de quinta (29), no bairro da Boa Vista, área central do Recife. A assessoria de imprensa do Sindasp-PE informou que ela será mantida no domingo (1º). Procurada pela reportagem, a Secretaria de Ressocialização ainda não se pronunciou sobre o tumulto.

Emergência no sistema penitenciário
Na última quarta (28), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), declarou estado de emergência no sistema penitenciário e determinou intervenção do Centro Integrado de Ressocialização de Itaquitinga, que está com as obras paradas há cerca de um ano e meio. O decreto com as medidas foi publicado no Diário Oficial da sexta (30). Em nota, o Executivo Estadual destacou que “tais medidas se dão em face à atual situação de tensão vivenciada no sistema prisional”.

Na semana passada, o Complexo de Presídios do Curado (antigo Aníbal Bruno), o maior de Pernambuco, situado na Zona Oeste do Recife, registrou uma rebelião que durou três dias, deixando o saldo de três mortos e dezenas de feridos. Um sargento da PM foi assassinado durante o motim e um dos detentos foi decapitado. Os três presídios do Curado têm capacidade para 1.800 presos, mas atualmente abrigam 7.000.

PMs da Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe) entraram na unidade no fim da manhã para fazer uma revista (Foto: Luna Markman/G1)PMs da Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe) entraram na unidade no fim da manhã para fazer uma revista (Foto: Luna Markman/G1)
PMs de batalhões especiais foram acionados e estão em frente ao complexo de presídios, no Recife (Foto: Luna Markman/G1)PMs de batalhões especiais foram acionados e estão em frente ao complexo de presídios, no Recife (Foto: Luna Markman/G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário