terça-feira, 17 de abril de 2012

GRANDE VITÓRIA! SINDASP CONSEGUE LIMINAR PARA OS AGENTES DO INTERIOR

O SINDASP -PE vem lutando judicialmente pelo Agentes Penitenciários e concursados. Este processo  judicial é o começo pela busca da legalidade e na defesa dos Agentes que fizeram o concurso por área regionalizada e que sejam nomeados os 277            (duzentos e setenta e sete) formados no Curso de formação . 
.
Neste intuito, o Sindasp -PE observou a manobra do Estado que não estava cumprindo o que exige a legislação vigente (6123/68) e o que estava previsto no Edital.
.
Sendo assim, após árdua luta conseguimos no dia de hoje a liminar que determina que os Agentes Penitenciários de outras RDDs tem que trabalhar na região ao qual prestou o concurso, e assim garantir que brevemente os 277 (duzentos e setenta e sete) que realizaram o curso de formação também ingressem na categoria urgentemente.
.
PARABÉNS A TODOS! O SINDASP SEMPRE LUTANDO POR VOCÊ.
.
LINK DA LIMINAR:


Dados do Processo
Número NPU0017059-33.2012.8.17.0001
DescriçãoProcedimento ordinário
VaraQuinta Vara da Fazenda Pública
JuizEdvaldo José Palmeira
Data17/04/2012 17:42
FaseDevolução de Conclusão
TextoDECISÃO INTERLOCUTÓRIA

          1. Recebo a petição de folhas 114 e seguintes como aditamento à petição inicial. Primeiro, porque o pedido foi alterado; segundo, porque não foi ainda formada a lide.
          2. Face ao princípio constitucional da reserva legal, que norteia toda a atividade pública, à Administração Pública somente é permitido fazer o que expressamente autoriza a lei, diferentemente do que ocorre com o particular, a quem é permitido fazer tudo o que a lei não proíbe.
          2.1. Assim, tratando-se de lotação de novos agentes penitenciários, está a Administração vinculada às normas do edital, que, por sua vez, deve observância à Lei Estadual nº 6.123, de 20.07.1968 e legislação posterior (Estatuto dos Funcionários Públicos de Pernambuco).
          2.2. No caso sob exame, os filiados do sindicato autor estariam sendo deslocados para o exercício das suas funções em região diversa da sua lotação.
            3. O edital do concurso sob exame, editado com a PORTARIA SAD/SERES Nº 121, de 29.10.2010 e aberto para o preenchimento inicial de 500 vagas, impôs aos candidatos a inscrição por região, de forma que a concorrência seria igualmente por região de inscrição, sendo igualmente certo que "a Região optada pelo candidato não poderá ser alterada" (itens 1.6 e 1.7 - vide fl. 58 destes autos), vale dizer, a posse e o exercício dar-se-iam somente para a respectivas regiões.
            3.1. O Anexo I do supracitado item 1.6, declarou a existência de 211 vagas para a Região Metropolitana, sendo 153 para homens e 58 para mulheres (fl. 61 destes autos).
            3.1.2. Não obstante se tenha disponibilizado no edital 500 vagas, a própria autoridade impetrada informou, em 21.03.2011, em ofício dirigido ao Secretário de Planejamento e Gestão do Estado de Pernambuco, que (vide fls. 38/41):
a) o número ideal de agentes penitenciários seria de 1/5 reeducandos;
b) naquele mês de março/2011, a proporção de agentes penitenciários efetivamente encontrada seria de 1/27 reeducandos, isto considerando a existência de uma população carcerária de 23.104.
                 A lotação ideal de agentes penitenciários no Estado de Pernambuco seria, portanto, de 4.620. Como a lotação então efetiva seria de 850, haveria uma defasagem de 3.770.
            A mesma autoridade, em ofícios expedido em março e abril de 2011 para o Secretário de Administração do Estado de Pernambuco e o Secretário de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, respectivamente, solicitou a nomeação de mais 283 agentes penitenciários, além dos 500 já autorizados, que também já teriam concluído o curso de formação (fl. 43  e 45 destes autos).
            3.1.3. Resumindo, não obstante se tivesse (considerando-se o quadro ideal) um déficit de 3.770 agentes penitenciárias e de haver 783 candidatos concluintes do curso de formação, apenas 502 foram nomeados e empossados.
            3.2. A nomeação feita no mês de dezembro/2011 foi feita por região, exatamente como previsto no edital do concurso (vide folhas 63 e 64).
            3.3. Pelo ofício cuja cópia se encontra à fl. 23, noticia-se que, por determinação da autoridade impetrada, agentes penitenciários, no total de 22, deveriam ser deslocados nas suas regiões para servirem, no período de 07/fev a 06/mar-12, no complexo prisional Professor Aníbal Bruno (folhas 23/24), já, portanto, depois das nomeações dos 500 primeiros.
            Pela documentação de folhas 25, 26 e 27/28, informa-se que supracitado deslocamento foi prorrogado, agora para o período de 07/mar a 10/abr - 2012.
            Nova prorrogação é anunciada, agora para o período de 11/abr a 09/mai - 2012 (fl. 119).
            3.4. Nenhuma documentação encontrada nos autos afirma o pagamento prévio de diárias aos agentes penitenciários deslocados.
            3.5. Os fatos narrados na inicial e no seu aditamento estão comprovados nos autos, vale dizer, os agentes penitenciários estão deslocados da sua região e sem o pagamento prévio de diárias.
            4. Há, à primeira vista, ilegalidade nos deslocamentos sob exame. Primeiro, porque implica em burla às regras do edital; segundo, porque importa em afronta ao princípio da isonomia, uma vez que a transferência, embora temporária, é feita sem que se possibilidade concorrência entre agentes penitenciários; terceiro, porque impõe aos agentes deslocados ou transferidos temporariamente um custo inicial com deslocamento, moradia e alimentação, o que teria, nas alegações da impetrante - ainda por se confirmar -, impelido os agentes deslocados a se instalarem precariamente no próprio complexo prisional Professor Aníbal Bruno.
                 Lembre-se, por oportuno, que o Estatuto dos Funcionários Públicos estabelece nos seus artigos 145 a 150, que as diárias e ajuda de custo por deslocamento deverão ser pagas aos servidores antecipadamente, uma vez que objetivam, justamente, possibilitar o custeio das despesas havidas em razão desse deslocamento e do exercício do cargo fora da sua localidade.
            5. A urgência do provimento jurisdicional é evidente. Inicialmente, porque a situação de ilegalidade já perdura por aproximadamente 90 dias, com sérios riscos à saúde física e mental dos servidores deslocados. Em segundo lugar, porque a última prorrogação está prevista para o período de 11/abr a 09/mai, o que importa em dizer que decisão judicial que se proferir posteriormente poderá ser inócua.
          6. Com estas considerações, DEFIRO A MEDIDA LIMINAR, e, em conseqüência, suspendo os efeitos do ofício nº 24/2012-SSPen.
          7. Notifique-se.
          8. Ciência ao Procurador Geral do Estado.
          9. Providencie, antes, a impetrante o fornecimento de cópias legíveis necessárias para as comunicações.
          10. Prestadas as informações ou, sem elas, decorrido o prazo de 10 (dez) dias, vista ao Ministério Público.
          Recife, 17 de abril de 2012

EDVALDO JOSÉ PALMEIRA
Juiz de Direito

3 comentários:

  1. Companheiros a Liminar tá na Mão e já VALE
    VOLTEM pras SUAS RDs POIS estamos(277) Muito PIOR que voces(500)
    Conciderem agente(277)
    POR FAVOR!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ao Sindicato!!

    Nos sentimos orgulhosos de brevemente fazer parte desta categoria, que conseguiu tantas vitórias, batalhas duras, e com FÉ EM DEUS conseguirá a nomeação dos 277 e CONVOCAÇÃO dos 900!!

    Com nossa entrada (277 + 900) seremos uma categoria ainda maior e com todos filiados ao Sindasp, para sempre buscar melhores condições!

    Abraços, companheiros Nivaldo e Carvalho.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Sindasp ,sempre acreditei nessa diretoria e no fortalecimento de nossa categoria !
    P.V.S.A- Antigão .

    ResponderExcluir