quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

ESTA CHEGANDO O DIA “D”

Os agentes penitenciários de Pernambuco após muitos anos solapados em seus direitos a uma representação sindical séria, realmente comprometida com os interesses da categoria têm a oportunidade de modificar este quadro nefasto de omissões e descasos. Os sócios do SINDASP-PE em sua maioria convocaram (conforme o estatuto do sindicato) uma Assembleia Geral Extraordinária para o próximo dia 24/01/2011 às 16:00 horas no SINPOL - Edital Publicado na Folha de PE do dia 18/01/2011. Trata-se de um momento crítico para os agentes penitenciários pernambucanos, pois esta assembléia mudará definitivamente a nossa trajetória e será determinante para o futuro coletivo e individual de todos os pais e mães de família que labutam nas fileiras do nosso Sistema Penitenciário.

Certamente não será fácil, mas estamos acostumados às dificuldades, afinal nada acontece por acaso, ou sem sacrifícios. Poderíamos comparar este momento com um parto complicado onde o nascituro precisará ser tirado a fórceps, posto que passou muito da hora de nascer.  Temos de renascer das cinzas como a fênix. Não podemos conceber que em meio a todo este processo os céticos, os acomodados, os omissos, os conformistas, os agitadores, os que trabalham contra e são adeptos do “quanto-pior-melhor” nos tragam um natimorto. Embora tenhamos certeza de que estes tais são minoria, durante muitos anos conseguiram contaminar a maioria com sua falácia, seu pessimismo improdutivo e suas palavras de ordem derrotista: “nada vai mudar”, “nós somos esquecidos pelo governo”, “não tem jeito”, "não conseguimos nada" e tantas outras máximas derrotistas. De sua peçonha surgiu uma divisão que só favoreceu aos adversários da nossa categoria. Em vista disso muitos prejuízos foram acumulados, refletindo no leite o no feijão que iam para a mesa dos nossos filhos.

Estes fatos me trazem à memória a parábola de um jovem lavrador “muito crente” que queria ter um pomar. Passava o tempo todo sonhando com um pomar maravilhoso. Contudo, não lançava mão do arado para tratar a terra e nela plantar; acreditava que Deus faria o milagre da produção espontânea, afinal ele era especial, ele era “o Cara”. Tudo deveria acontecer num passe de mágica, ou melhor, Deus que fizesse tudo sozinho. Os anos passaram e ele a esperar que o sol e a chuva fizessem brotar sua plantação, limitando-se a esbravejar e maldizer os céus e a natureza por não ajudá-lo e aos vizinhos que com afinco plantaram e desfrutavam de seus pomares. Enquanto se corroia de inveja e maledicências sua terra ia se tornando cada vez mais árida e estorricada, tornou-se vítima de sua própria indolência e intolerância. No extremo de sua loucura apostatou da fé, deixou de crer em Deus e tomado de inveja declarou guerra a todos os vizinhos e aos irmãos. Tinha na sua insanidade a certeza de que sua belicosidade faria retroceder o quadro de seu infortúnio e que por fim seria o dono do maior pomar de toda a região, e que o próprio Deus desceria do céu para desculpar-se por não ter-lhe servido e pelos vexames que o fez passar. Certo dia, porém, alguns de seus irmãos, também herdeiros daquelas terras, ainda que muitos temendo sua loucura, resolveram rejeitar aquele pessimismo degenerativo. Arregaçaram as mangas e colocaram as mãos no arado. Com dificuldades conseguiram o apoio de alguns vizinhos, plantaram algumas sementes e obtiveram algumas mudas. Começaram a transformar a aridez daquela terra, que já não estava abandonada à própria sorte. Algumas árvores plantadas com pouco tempo frutificaram, enquanto outras estavam sendo cuidadas para que frutificassem no futuro.

Moral da história: se nós permanecermos esperando que as coisas caiam do céu, uma nefasta e negligente eternidade nos aguarda. Esperar acontecer aquilo que Deus nos capacitou a fazer é a certeza da derrota. Aquilo que o homem pode e tem de fazer Deus jamais fará no seu lugar. Deus fará o que está além do nosso alcance. As Escrituras Sagradas já nos alertam:

“Tudo quanto te vier à mão para fazer faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra, nem indústria, nem ciência, nem sabedoria alguma.” (Eclesiastes 9:10)

“Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado.” (S. Tiago 4:17)

Prezados colegas ASP’s/AFSP’s por mais de 10 anos estivemos caminhando no deserto, sem representantes comprometidos em lutar efetivamente por nossos direitos, que realmente quisessem mudar a realidade da nossa categoria. Agora, temos um momento ímpar onde com muito esforço e sacrifício pessoal de alguns temos franqueada a oportunidade de reverter este quadro. Dia 24/01/2011 é o dia “D” da mudança onde poderemos, todos nós, enquanto categoria decidir os rumos que queremos para nós mesmos, sem estar à mercê das sandices de “A” ou de “B”. Temos o direito de decidir o nosso destino, de votarmos e sermos votados em eleições justas para a direção do NOSSO SINDICATO. Vamos dar um basta no despotismo daqueles que olvidaram seu compromisso conosco e se perpetuam na direção do NOSSO SINDICATO. Esta é a hora “H” da mudança, a hora de dar fim aos desmandos destes que acham que temos de ser-lhes eternamente subservientes. Temos que definir neste dia histórico o destino de nossa vida profissional, reaver o respeito e a dignidade que nos é devida, posto que laboramos nesta profissão que por si só possui agruras de sobra. É chegado o momento de extirpar aqueles que esqueceram o significado da palavra “REPRESENTAÇÃO” e nos impuseram a autopreservação desta diretoria executiva em detrimento e desfavor de toda uma categoria. Temos que dar fim a esta era de desrespeito a nós e as nossas famílias. Caso contrário, estaremos fadados às eternas perdas salariais que vêem nos martirizando, às difíceis condições de trabalho, aos desmandos de todos e a desqualificação, e num futuro não muito distante a extinção.

Estamos fazendo a nossa parte, agora é a sua vez de fazer a sua e decidir os nossos rumos. Incentive os colegas e compareça com eles a Assembléia Extraordinária do SINDASP-PE. Lembre-se: “aquele que sabe o bem que tem de fazer e não faz peca”

Que Deus, em sua infinita misericórdia e graça, no nome de seu Filho Jesus Cristo nos ajude.

Nivaldo de Oliveira Júnior
Presidente da ASPEPE

Nenhum comentário:

Postar um comentário